Quando decidi escrever sobre inovação aberta e as oportunidades para o setor automotivo, me veio uma questão: como explorar o assunto sem parecer um discurso vazio? Fui buscar essa resposta dentro da própria empresa em que trabalho, a BASF, onde há um forte incentivo à cultura colaborativa, valorização da conexão entre empresas, parceria e cocriação no desenvolvimento de novos negócios. A inovação está no DNA da BASF e ganhou novos horizontes com a inovação aberta, que vem sendo amplamente utilizada para se conectar ao universo das startups. Estender essa experiência ao ambiente automotivo é, sem dúvida, um ganho significativo.

O setor automotivo é um mercado que está em constante transformação e a tecnologia é um aspecto que sempre caminhou ao seu lado. Hoje em dia, o cenário da indústria muda muito rapidamente e as grandes corporações precisam compreender que, sozinhas, dificilmente alcançarão sucesso nesse cenário desafiador. Neste contexto, a parceria entre as empresas e as startups por meio da inovação aberta é uma das formas de avançar a evolução do setor e revolucionar a indústria tradicional para alcançar novas tendências mundiais de mercado, de forma rápida, colaborativa e com foco em entregar valor ao consumidor final da mobilidade.

Mas como podemos tangibilizar essas aspirações em ações concretas?

Dentro da empresa temos um excelente exemplo: a BASF e a Mercedes-Benz se uniram para acelerar startups do setor agrícola. O que as duas empresas têm em comum? Além da origem alemã, uma parceria cliente-fornecedor centenária, as duas companhias compartilham o propósito de levar mais produtividade e rentabilidade, não só ao setor automotivo, mas também ao agronegócio, onde têm forte atuação. E para tornar esse objetivo realidade, uniram forças para resolver alguns desafios com o apoio da inovação aberta.

Num esforço que envolveu o Time de Indústria Automotiva, nosso hub de inovação, o onono, a plataforma de inovação e empreendedorismo AgroStart, e a Mercedes, foram escolhidas três startups para um processo de mentoria, aceleração e cocriação de soluções disruptivas para impulsionar a produtividade e rentabilidade no agronegócio.

A partir dessa experiência, novas parcerias estão evoluindo rapidamente, como com a Bosch, com quem estreitamos relacionamento e esperamos cocriar soluções inovadoras, bem como desenvolver todo um ecossistema de mobilidade. Muitas ideias de iniciativas e propostas de parcerias acabam surgindo de benchmarks que realizamos com outros hubs de inovação no setor automotivo. Durante esses eventos, abrimos espaço para conversas abertas e ideias disruptivas a serem compartilhadas e normalmente isso basta para iniciarmos um projeto em parceria. A Bosch também possui um hub de inovação – o Curitiba Connectory – ponto de conversão inicial entre as nossas estratégias, por exemplo.

Além de iniciativas de cocriação, o onono também provê toda a estrutura para desafios de startups que geram impacto e valor para os nossos clientes. Nos últimos meses, duas montadoras lançaram desafios por meio da central de startups do onono, um relacionado a jornada de reconhecimento do colaborador dentro da companhia e outro à logística reversa de peças das suas concessionárias.

Estamos vivendo um tempo intenso no qual repensar várias atitudes e aprender a ressignificar diversos valores têm sido fundamentais. Mais do que nunca é preciso entender o que está sendo realmente feito no setor e quanto a adoção de novas tecnologias tem sido conduzida com afinco. Novos desafios já estão sendo preparados para o próximo ano. E você, está preparado para apostar na inovação aberta e na transformação de novas oportunidades para o setor automotivo?

*Leilane Correia, consultora de estratégia do Time de Indústria Automotiva da BASF na América do Sul.

BASF
Máquina CW

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui