A Meritor Brasil tem investido em melhorias de processos do Laboratório de Ensaios Mecânicos (LEM), na ampliação e na modernização da capacidade dos testes realizados na planta de Osasco (SP), elevando ainda a segurança de seus colaboradores.

Nos últimos cinco anos, a principal fornecedora de eixos e sistemas de drivetrain realizou a aquisição de novos equipamentos, como o novo Four Square de 350hp (dinamômetro), novo módulo de bombas e um moderno sistema de monitoramento, que em conjunto, proporciona mais recursos na inserção de parâmetros capazes de contribuir significativamente com o trabalho de engenharia no desenvolvimento e validações, em condições mais próximas das aplicações adotadas pelos clientes, elevando a capabilidade e confiabilidade do LEM.

“Todos os produtos da Meritor Brasil, sejam novidades ou atualizações, são submetidos a testes severos no LEM para validação e confirmação dos resultados, principalmente se tratando de diferenciais e carcaças. Hoje, temos estrutura completa para testarmos os nossos produtos e as demandas mais exigentes para comprovação da performance em campo”, diz Armando Stefani, engenheiro de Produto Senior da Meritor Brasil.

Os testes variam de acordo com cada projeto. “A validação depende das mudanças do projeto ou ainda se tratando de um produto novo, o período, a complexidade e a quantidade de teste são relativamente maiores”, reforça Stefani.

Em área dedicada, o LEM conta com atuadores hidráulicos capazes de realizar simulação de carga vertical sobre o eixo suportado pela carcaça e o semieixo, sobre o qual é montada a roda do veículo. Este ensaio simula testes em campo, os esforços nos pontos de apoio, com a possibilidade de aplicação de mais estresse sobre os produtos para comprovação da longevidade.

Com base na aplicação do cliente, os atuadores hidráulicos podem receber diversos setups e realizar testes como fadiga vertical, Side Skid, capaz de simular esforços laterais (veículo em curva), teste de fadiga longitudinal (aceleração e frenagem), torção do flange do freio, torção do semi eixo e ainda a estática, a qual o torque é aplicado até o momento da quebra.

Já o teste de dinamômetro (Four Square) é realizado para validação do diferencial, mais especificamente o par de coroa e pinhão que compõe o eixo da marca. Neste caso, a simulação é de um veículo em movimento com carga constante e rampa infinita.

A checagem dos satélites, planetários, caixas de satélites e cruzetas é feita por meio de ensaios denominado Diff Nest, que simulam curva infinita. O teste de arrancada, Slow Chucker, analisa os componentes estruturais localizados dentro do diferencial, como fixações e parafusos. Neste ensaio, toda a estrutura do diferencial é verificada.

Para a checagem de lubrificação, a Meritor Brasil conta com uma bancada que submete o diferencial montado a ensaios para verificação de vazamentos e condições do óleo e possibilidades de deformidades. A bancada de ar comprimido foi montada para ensaios de fadiga do difflock e do sistema de dupla velocidade e câmera de freio.

Vale acrescentar que todos os testes são realizados com atuação e acompanhamento do time de engenharia, responsável por entender a necessidade do projeto e executar o plano de desenvolvimento.

Meritor América do Sul
Textofinal de Comunicação Integrada

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui