Foi no final da década de 1970, logo no início do programa nacional Proálcool e os modelos da família Corcel e Belina, foram eleitos, os melhores carros nacionais com motor a álcool, além de serem também os menos problemáticos na partida a frio pela manhã, sem trancos ou falhas na cidade com o motor já aquecido.

O Corcel II a álcool acabou sendo o carro mais vendido do Brasil, entre os modelos de médio porte, em 1981, com filas de espera de até 90 dias.

Naquela época, a Ford promoveu um teste para comprovar as maiores economia e autonomia do Corcel II movido a álcool entre os carros nacionais. Em uma viagem no percurso São Paulo-Rio de Janeiro-São Paulo, o veículo precisou de menos de um tanque de combustível para completar o trajeto, com média de mais 14 km/l.

Os detalhes desse teste com Corcel II movido a álcool é tema do comentário do jornalista Luiz Carlos Secco no episódio desta semana do podcast Muito Além de Rodas e Motors. Para ouvir, acesse: https://soundcloud.com/user-645576547/corcel-ii-a-alcool-faz-sp-rj-sp-com-apenas-um-tanque-de-combustivel.

Secco Consultoria de Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui