Pergunta simples, que qualquer milhão de reais ajudaria na resposta, não é mesmo? Quem tem uma bola de cristal para afirmar sobre o melhor combustível para substituir a gasolina nos automóveis? Será que isso é possível? É o fim dos motores de combustão?

Muitas marcas já anunciaram que vão parar de investir nos motores de combustão interna. Com regulamentações mais restritivas e avanço dos elétricos, cada vez mais fabricantes deixarão os combustíveis fósseis de lado.

Se você acredita que ainda vai demorar até os carros a bateria substituírem os propulsores a combustão, é melhor avisar a Jaguar. A montadora britânica de modelos de luxo afirmou que vai passar a oferecer uma linha de produtos 100% elétricos nos próximos anos.

A Ford, especificamente a sua divisão europeia, também já anunciou seus planos de eletrificação. Por lá, a empresa pretende passar a oferecer um catálogo formado apenas por veículos elétricos ou híbridos já a partir de 2026. Ou seja, em menos de 5 anos, não existirão mais carros da Ford movidos apenas por gasolina ou diesel por lá.

A partir de 2030, a Volvo pretende vender apenas veículos 100% elétricos. E ela já avisou: os atuais propulsores a combustão, 1.5 e 2.0 turbinados, não terão continuidade.

Após o escândalo do Dieselgate, onde a Volkswagen foi severamente punida por mascarar as emissões de propulsores a diesel, a empresa alemã passa por uma completa evolução. A marca já anunciou uma nova família de veículos elétricos chamada de ID. No final de março, confirmou que os atuais propulsores a combustão serão seus últimos. A partir de 2030, a companhia irá oferecer apenas veículos movidos por baterias.

A norte-americana General Motors, controladora de marcas como Chevrolet e Cadillac, também vai deixar de oferecer modelos a combustão completamente já em 2035, mesmo ano em que pretende ser totalmente “carbono neutra” em todas as suas operações globais.

A alemã Mercedes-Benz também já confirmou sua data para ser 100% elétrica: 2039. A empresa espera que, até lá, torne-se uma companhia livre de emissões de carbono. Hoje, a marca possui a linha de elétricos EQ, já formada pelos SUVs EQC (vendido no Brasil) e EQA.

Ainda sem confirmar quando terá 100% dos modelos elétricos, a Audi pretende lançar 30 novos modelos eletrificados até 2025 (híbridos ou elétricos), sendo que 20 deles serão totalmente movidos por baterias. Os atuais motores a combustão da empresa também devem ser seus últimos.

Responsável por Fiat, Jeep, RAM, Peugeot e Citroën, a Stellantis vai trazer seu primeiro modelo totalmente elétrico para o Brasil em agosto, o 500e. O grupo ainda não possui uma data definida para oferecer apenas veículos elétricos ou eletrificados globalmente, mas, na Europa, isso deve ocorrer a partir de 2025.

Já estou convencido que o fim da linha para os motores de combustão está próximo, mas qual será o próximo combustível?

Tudo vai depender do uso do veículo. Simples. É importante considerar o aspecto ambiental e econômico para sua escolha. Estima-se que o setor de transportes seja responsável por aproximadamente 30% do consumo de energia do mundo e por 16% das emissões de gases de efeito estufa.

A escolha da melhor solução tecnológica para encontrarmos a eficiência energética consiste na avaliação local, ou seja, da região, o que muitas vezes implica que o melhor para o seu vizinho, pode não ser a melhor solução para você. Talvez a escolha da Europa não seja a melhor para a América do Sul.

O desenvolvimento tecnológico das regiões é outro aspecto importante dessa escolha, assim também como as condições rodoviárias, massa e até mesmo os materiais em sua composição.

Diferente do que vivemos atualmente, não teremos uma única matriz energética em nossos transportes. Nesse momento já podemos afirmar que estamos iniciando a fase de transição da matriz energética do transporte mundial.

A eletrificação do transporte rodoviário é uma tendência global, embora os veículos com motores elétricos alimentados por baterias nos tragam incertezas nos ganhos ambientais, conforme a região, são eles que estão abrindo as portas para esses recursos tecnológicos, a nova realidade.

E os motores diesel? Alternativas como o biogás e hidrogênio são alternativas eficientes e ambientais para substituir o diesel como combustível nos caminhões, por exemplo.
O biogás – produzido pela decomposição de matéria orgânica por bactérias – e as células de combustível alimentadas por hidrogênio são apontadas como as alternativas mais promissoras no quesito de redução nas emissões de gases de efeito estufa.

Gás natural? De origem fóssil, ele praticamente não reduz as emissões de gases de efeito estufa, embora provoque redução na emissão de material particulado.

Já o gás natural comprimido (GNC) suas emissões variam conforme a eficiência e os possíveis vazamentos de metano durante o transporte do gás natural.

E o biodiesel, apresenta poucas vantagens ambientais, devido alto consumo energético e emissões elevadas na fase de produção.

Elétricos ou hidrogênio? Os dois. Nesse momento já estamos vendo os veículos híbridos ou elétricos no mercado. Alguns híbridos combinam motor de combustão interna e motor elétrico com baterias. É uma transição.

Temos os totalmente elétricos, mas com baterias, serão o próximo passo. A evolução realmente vai acontecer com os elétricos movidos a hidrogênio.

* Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet, uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes. A Coluna Mecânica Online® aborda aspectos de manutenção, tecnologias e inovações mecânicas nos transportes em geral. Menção honrosa na categoria internet do 7º e 13º Prêmio SAE Brasil de Jornalismo, promovido pela Sociedade de Engenheiros da Mobilidade. Visite: www.mecanicaonline.com.br e www.cursosmecanicaonline.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui