As relações com a morte e seus entrepostos – os cemitérios – permeiam grande parte dos 35 contos que integram o livro de estreia do jornalista Ademir Pernias, de São Caetano.

Memórias Perpétuas reúne histórias curtas, entre contos e crônicas, e tem como pano de fundo as lembranças autobiográficas do autor desde a primeira infância, quando se viu perdido sozinho num cemitério, aos 3 anos, numa visita do dia de Finados, até a elaboração do longo período de luto pela perda dos pais.

Memórias Perpétuas, lançado pela Editora Estrada de Papel, de Curitiba (PR), traz histórias das visitas e sonhos ambientados nos Cemitérios da Saudade e Cristo Redentor, em Santo André, cidade onde nasceu o autor. Mas traz também relatos das reminiscências de um garoto na década de 1960 sobre uma cidade em constantes mudanças. “Conto desde a paixão do menino pelo primeiro aparelho de televisão da família até sobre a tristeza pela destruição de uma antiga tecelagem cuja chaminé era símbolo do passado industrial da cidade”, diz Pernias.

“Seus 35 contos são memórias que vão muito além da inspiração machadiana – declarada na apresentação. Desde o cemitério até seu cotidiano junto à família, das nostálgicas sessões do cinema do bairro, das feridas cicatrizadas pela passagem do tempo, das crenças e descrenças, dos preconceitos e da solidão aos ensinamentos recolhidos ao longo de sua caminhada terrena”, escreve o editor Saulo Adami, da Editora Estrada de Papel.

Ademir Pernias é formado em Direito pela USP e jornalista com passagem pelo Diário do Grande ABC, na década de 1990.

Serviço
Título: Memórias Perpétuas, 90 páginas, R$ 45,00.
Autor: Ademir Pernias
Editora: Estrada de Papel – Curitiba (PR)
Contato: @ademir_pernias

________________________________________________________________________

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui