O ministro de Minas e Energia, Juan Carlos Jobet, e a ministra de Transportes e Telecomunicações do Chile, Gloria Hutt, lançaram na semana passada um novo programa para promover a eletromobilidade na área de táxis. “Meu Programa de Táxi Elétrico”, que fornece cofinanciamento de até US$ 11.000 para proprietários de táxis convencionais trocarem seus veículos por táxis BYD 100% elétricos

“Hoje existem barreiras significativas para os taxistas terem acesso a veículos elétricos, principalmente em termos de investimento inicial, conhecimento de tecnologia e do carregamento da bateria. Por isso, lançamos este programa para levar os benefícios da eletromobilidade aos taxistas e usuários”, declarou o ministro de Energia e Minas, Juan Carlos Jobet, durante o lançamento do programa.

e/d: Tamara Berríos, Gerente da BYD Chile; Juan Carlos Jobet, Ministro de Minas e Energia do Chile; Gloria Hutt, Ministra dos Transportes e Telecomunicações do Chile; e Eliseo Salazar, embaixador da marca BYD Chile.

“Nossa prioridade em termos de eletromobilidade é o transporte público e a promoção da inclusão de veículos como táxis e ônibus. Iniciativas como essa, além de outras que impulsionamos do Ministério dos Transportes, estão acelerando o uso de frotas mais sustentáveis com custos operacionais significativamente mais baixos. Além disso, os novos veículos trazem melhorias no conforto para os usuários, principalmente devido a viagens mais suaves e silenciosas”, destacou  Gloria Hutt, ministra dos Transportes e Telecomunicações.

A iniciativa, que inclui também a compra e instalação de um carregador elétrico doméstico e a monitorização do funcionamento dos veículos novos durante um ano é implementada pela Agência de Sustentabilidade Energética, que também irá aconselhar os operadores nas suas aplicações.

Ignacio Santelices, Diretor Executivo da Agência, destacou que operar um táxi elétrico significa cerca de 70% de economia de custos em comparação com um veículo a gasolina. Além disso, “Um veículo elétrico tem manutenção mais barata do que os veículos convencionais, portanto, é economicamente e ambientalmente conveniente”, afirmou.

Atualmente, no Chile, são 1.769 veículos elétricos, entre ônibus, veículos leves e caminhões. Esses 50 táxis BYD serão a maior frota de táxis do país latino-americano.

A licitação ganha pela BYD servirá como uma plataforma para 50 operadores de táxi mudem a tecnologia de seus veículos de combustão para táxis BYD 100% elétricos

“O recebimento desta licitação demonstra nosso compromisso com o Chile e a eletromobilidade e como a BYD se posicionou como uma marca madura e sólida globalmente. Este é mais um passo no caminho para o transporte com emissões zero. Com nossa contribuição, esperamos disseminar o uso de veículos elétricos em diversos segmentos”, explicou Tamara Berríos, Gerente da BYD no Chile. “Hoje começamos com a maior frota de táxis elétricos do país e esperamos acompanhar os operadores nessa experiência. Além de sustentáveis, esses veículos geram grande economia na operação e manutenção. Na BYD, temos o orgulho de continuar a liderar o mercado e expandir a revolução da eletromobilidade”, observou a executiva da empresa.

O táxi elétrico da BYD: BYD e5

A gerente nacional da BYD no Chile, Tamara Berrríos (à esquerda), explica aos ministros as características e benefícios da tecnologia BYD.

O BYD e5 é atualmente o carro elétrico de maior autonomia do mercado chileno. Sua bateria permite viajar até 400km com uma única carga. Ele também possui tecnologia de frenagem regenerativa, que ajuda a recuperar eletricidade ao dirigir, frear e desacelerar.

Este modelo de emissão zero é configurado especialmente para frotas devido ao conforto de seus assentos, a amplitude do bagageiro e, o mais importante, a economia que gera na operação e manutenção.

A BYD se tornou o principal fornecedor de transporte ecológico local no Chile. Alcançou marcos significativos, como os primeiros 100 ônibus elétricos no final de 2018 e o lançamento do primeiro corredor elétrico das Américas, a Avenida Gracia, com uma nova frota de 183 ônibus. Ao final de 2020, a marca entregou 455 ônibus 100% elétricos para Santiago, com uma participação de mercado de cerca de 56%.

Hoje, a pegada de novos produtos de energia da BYD se espalhou pelos principais mercados da América Latina, incluindo Chile, Colômbia, Brasil, Barbados, Panamá, Costa Rica, Uruguai e Argentina. Ele está ganhando elogios do mercado por seus notáveis benefícios ambientais e qualidade confiável.

BYD

No Brasil, a BYD abriu sua primeira fábrica em 2015 para produção de chassis de ônibus elétricos e comercialização de veículos e empilhadeiras em Campinas, interior de São Paulo. Em abril de 2017, inaugurou sua segunda planta, para produção de módulos fotovoltaicos, consolidando-se como uma das líderes desse importante mercado no Brasil. Em 2020, a BYD iniciou a operação de sua terceira planta fabril no País, em Manaus, para a produção de baterias. A BYD também é responsável por dois projetos de SkyRail (monotrilho) no país: Em Salvador, com o VLT do Subúrbio, e na cidade de São Paulo, com a Linha 17 – Ouro. A BYD Brasil emprega 365 funcionários nas cidades de Campinas, São Paulo, Salvador, Manaus, Vitória, Curitiba e Rio de Janeiro.

BYD
Marise Vieira
comunicavieira@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui