Primeira cidade do Grande ABC Paulista a implantar um governo digital, São Bernardo do Campo concluiu o processo de virtualização de serviços disponíveis ao cidadão e dá um novo passo para ser uma referência nacional em transformação digital pública.

Desde janeiro de 2020 – início do projeto de transição para um governo 100% Digital – até agora, a Prefeitura digitalizou ao menos 446 novos assuntos, somando-se aos que já haviam sido implantados nos últimos cinco anos. Com isso, o Município alcançou a marca de 900 assuntos digitais disponibilizados no sistema e zerou o cadastro de processos no modo físico.

A transformação tecnológica em São Bernardo do Campo começou em 2016 e se desenvolveu de forma gradual, por ser um processo inovador e inédito na região, e que gerava certa resistência de parte dos servidores públicos à mudança. Os primeiros processos internos e externos foram automatizados e barreiras foram superadas a partir de uma parceria com a Softplan, uma das maiores desenvolvedoras de software do Brasil e responsável pela solução implantada no município. Atualmente, a iniciativa serve de inspiração para as cidades da região que buscam trilhar este objetivo, que envolve a otimização das rotinas de trabalho e o fornecimento de serviços de forma mais ágil e eficiente ao cidadão.

Até o ano passado, a mudança do cadastramento de processos para o digital era feita nas ações de maior volume de demanda aos servidores municipais, mas foi expandida para outros procedimentos com a chegada da pandemia de covid-19. Assim, com a automação de processos, a instituição ganhou aumento de produtividade, confiabilidade de dados, padronização de processos, além da centralização de informações, transparência e apoio na tomada de decisão através de enorme variedade de indicadores úteis para a gestão pública.

De acordo com Luciane Pazin Mauro, coordenadora da Softplan no projeto de Transformação Digital da cidade, muito dessa aceleração ocorreu devido a necessidade de permitir o trabalho remoto por parte dos funcionários da prefeitura (hoje realizado por escala) e a oferta de serviços digitais diante do isolamento social dos moradores. Além disso, a oportunidade de virtualizar procedimentos que ainda ingressavam na prefeitura de forma física (cerca de 20% do total até 2019), onerando maiores recursos de operações logísticas e de armazenamento foram um gatilho para acelerar a migração para o digital.

“O teletrabalho foi determinante para adesão dos servidores ao projeto porque quebrou-se barreiras antigas quanto ao uso de sistemas eletrônicos e eles perceberam a importância dos processos digitais, sobretudo neste momento, sem ser preciso aguardar a tramitação de pastas físicas de papel entre as repartições municipais. Nossa equipe passou a fazer reuniões e alinhamentos do projeto por videoconferência e, gradativamente, conseguimos virtualizar assunto por assunto, serviço por serviço e disponibilizando os mais relevantes no Portal de Atendimento. Os servidores também foram treinados para operar os recursos do sistema”, explica Luciane.

Cidade 100% digital

A virada total do “zero ao 100% digital” aconteceu em 1º de junho de 2020 e, desde então, os cidadãos têm acesso remoto a diferentes serviços que antes incluíam a ida até os órgãos públicos, filas presenciais por atendimento e mais tempo de espera por uma resposta para as solicitações. Ao todo, são 255 serviços digitais disponíveis diretamente ao público no portal de atendimento, que já chegou a ser acessado por cerca de quatro mil pessoas em um único dia. Dentre os recursos mais procurados está a emissão do Cartão Nacional da Pessoa Idosa, que, antes levava cerca de 40 dias para ficar pronto e, hoje, é efetivado em minutos. Desde outubro de 2016, quando o serviço passou a ser disponibilizado via PRODIGI, mais de 41 mil cartões do gênero foram solicitados por meio eletrônico.

“Em termos práticos essa transformação digital para o cidadão e demais usuários, como escritórios de contabilidade e arquitetura, se reverte em três benefícios principais: comodidade, porque eles conseguem solicitar serviços sem sair de casa; celeridade, uma vez que os processos digitais são mais ágeis e resolvem entraves burocráticos em alguns cliques, evitando demoras relacionadas a tramitação física de documentos; e transparência, porque as pessoas conseguem acompanhar o andamento da solicitação e acessar a pasta digital do processo em tempo real pelo portal”, destaca.

O projeto traz ainda resultados positivos em outras esferas, como a ambiental, em que a eliminação do uso de papel. Entre os anos de 2017 e 2020 ao menos 4,7 milhões de folhas de papel foram economizadas com o cadastramento digital no PRODIGI, número que equivale a 470 árvores poupadas. A longo prazo também soma-se à economia gastos com pastas, tintas e impressões, malote, combustíveis para o transporte de documentos e a liberação de espaço físico para arquivo e microfilmagem de processos. Em contrapartida, parte dos recursos economizados são reinvestidos em tecnologia e no aumento da capacidade de armazenamento dos dados, visto o crescimento significativo e constante no uso da plataforma.

“Embora a prefeitura esteja 100% digital, ainda existem trabalhos a serem feitos. A ideia é que os processos ad-hoc, possam ser feitos de maneira automatizada com o auxílio do Solar BPM (solução da Softplan que origina o PRODIGI), fazendo com que os servidores ganhem tempo entre as tramitações e suas tarefas. Também, os ritos processuais que foram transformados em digital, começam a ganhar uma nova cara, e com isso, os processos serão cada vez mais otimizados pela nova maneira de trabalho”, conclui Luciane Pazin Mauro.

Softplan
Dialetto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui